PRIMEIRA IGREJA BATISTA EM JACAREÍ
/ Voltar /    

Pr. Luiz Sanches
Pastor Sênior

 

 

JESUS É A NOSSA PÁSCOA

 

 

 

04/ABRIL/2010

JESUS É A NOSSA PÁSCOA

“Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive?
Ele não está aqui!”  Lc 24.5

INTRODUÇÃO

  • Estamos em 2010 d.C (depois de Cristo).  Ele, e somente Ele, nos deixou um legado que não se pode comparar com qualquer outro ser ou personagem da História.

 

  • As pirâmides do Egito são famosas por abrigarem corpos mumificados dos antigos reis do Egito.
  • A Catedral de Westminster em Londres é respeitada porque ali estão corpos da nobreza e de britânicos famosos.

 

  • O mausoléu de Maomé é notável pelo caixão de pedra e os ossos que contém.
  • O cemitério de Arlington, em Washingtom(EUA) é venerado como o lugar de descanso de muitos americanos famosos.

 

  • Mas, o sepulcro de Jesus é famoso, justamente porque está vazio.
  • Neste domingo de Páscoa, a boa notícia é que adoramos um Deus vivo, e ele está conosco aqui agora e por todos os dias de nossa vida.

 

  • Como foi a sua Páscoa em 2010?  Passou com a família, comeu, bebeu, se alegrou com mais um feriado?  Descansou?  Este não é um feriado qualquer.  O seu significado é muito especial para todos os cristãos, em todo o mundo.
  • Para os judeus, a Páscoa surgiu como uma festa que marcou o fim da opressão escravizadora de Faraó sobre o povo hebreu.  A profecia a Abraão revelou que seus descendentes ficariam sob o domínio de uma terra estranha por 400 anos, mas depois  seriam libertados(Gn 15.13-14).

 

  • Isto de fato aconteceu, por meio de Moisés, que Deus enviou para tirar o seu povo do Egito.  Deus mandou dez pragas, mas antes da décima praga Moisés foi instruído a pedir que cada família judaica sacrificasse um cordeiro e molhasse os umbrais das portas com o sangue, para que seus primogênitos não fossem mortos.  À noite, os hebreus comeram a carne do cordeiro, acompanhada de pães sem fermento e de ervas amargas.  Depois, um anjo enviado por Deus feriu de morte todos os primogênitos egípcios, incluindo os animais e o filho mais velho da casa do Faraó.  Assim o povo judeu pôde sair e celebrar todos os anos a festa da Páscoa.
  • O livro de Êxodo conta esta dramática história, que também é retratada em filmes como “O Príncipe do Egito”.  Veja algumas cenas das dez pragas e do grande livramento que Deus trouxe ao seu povo.

 

PÁSCOA -  pessach(hebraico) =  passagem, passar por cima

  • Pessach, portanto, significa a passagem do Senhor através de seu mensageiro, o anjo.  E também a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, selando a sua libertação da escravidão no Egito. 

 

  • Os judeus celebram no primeiro dia de lua cheia, do primeiro mês no início da primavera e dura sete dias.  É a festa mais importante, dentre as várias festas judaicas.

“Este dia será como um memorial que vocês e todos os seus descendentes celebrarão como festa ao Senhor”.  Êx 12.14
Vamos examinar o que foi esta festa para os judeus e o significado da Páscoa para nós os cristãos.

CELEBRE A VERDADEIRA PÁSCOA...    Êxodo 12.1-28

  • LEMBRE-SE QUE ELA TEM UM CENTRO:  O CORDEIRO  (v.3-6)

 

  • Cordeiro Pessoal  -  “cada um tomará para si um cordeiro” (v.3).
  • A escravidão era um drama nacional israelita que já durava 400 anos, mas antes de ser um drama nacional era um drama pessoal:  o israelita não tinha cidadania, direitos,identidade, liberdade, sonhos.  Seus horizontes limitavam-se à escravidão, opressão, espoliação, violência, angústia e sofrimento.  Mas, uma esperança concreta se desenhava, e para concretizá-la, cada um deveria ter um cordeiro.

 

  • O NT apresenta Jesus como o Cordeiro de Deus.  João Batista afirmou:

"Vejam!  É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!  Jo 1.29

  • Jesus é o Cordeiro pessoal.  Ele é o Deus passando em nossa cidade, em nossa nação, para alcançar cada um particularmente. Você pode dizer para ele:

 

“Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”.  Mc 10.47

  • Cordeiro Familiar -  “...um cordeiro...para cada casa...” (v.3-4).
  • Quando Deus passa – em qualquer época lugar ou geração – Ele prioriza a família.  O grande projeto divino foi e continua sendo a família, pois Ele bem sabe que ao passar pela família, salvará toda a terra.  Deus programou, pois, uma festa doméstica:  sem templo, sem altar, sem sacerdote.  Ele revelou sua prioridade número um: o lar!  E família, para Deus, tem uma visão mais abrangente, envolvendo também os que têm relacionamentos mais próximos (v.4 – “....deve dividi-lo com o seu vizinho mais próximo”).

 

Jesus é o Cordeiro familiar.  Ele é Deus passando hoje em nossa casa, querendo entrar em nossa casa, como fez com Zaqueu: 

“Zaqueu...quero ficar em sua casa hoje”.  Lc 19.5

  • Cordeiro Singular  -   “O animal...será sem defeito” (v.5)

 

Deus exigiu que escolhessem o melhor cordeiro, entre todos os cordeiros de cada rebanho, evidenciando mais uma vez sua visão de perfeição. 

  • Jesus é o Cordeiro singular.  É Deus passando para nos levar a um caminho de perfeição, de verdadeira espiritualidade, de santidade. 

 

“Ele não cometeu pecado algum, e nenhum engano foi encontrado em sua boca”.
1 Pe 2.22

  • Cordeiro Sacrificado  -  “...toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol”.  (v.6)

 

  • Toda a família israelita e, consequentemente, toda a nação, concentraria sua total atenção ao cordeiro escolhido, separado e guardado por quatro dias, e sacrificado sem que nenhum osso fosse quebrado e assado.
  • Jesus é o Cordeiro sacrificado.  Ele é Deus passando entre os homens para amá-los da forma mais completa:  sacrificialmente.

 

“Ele foi oprimido e afligido; e contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro”.  Is 53.7

 

Celebre a verdadeira Páscoa....

 

  • 2.  LEMBRE-SE QUE ELA TEM UM SINAL:   SANGUE  (v.7-13)
  •  
  • Sinal de Comunhão -  “...comerão a carne assada no fogo” (v.8).
  • Em todas as casas onde houvesse sangue, aconteceria um saboroso “churrasco” de cordeiro, temperado com ervas amargas e acompanhado de pão sem fermento. Comido às pressas(v.11), mas vivido como uma experiência intensa e única de comunhão libertadora.

 

  • Jesus é Deus passando entre nós para nos atrair para a comunhão pelo seu sangue.

“Pois a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Todo aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele... Aquele que se alimenta de mim viverá por minha causa”.  Jo 6.55-57

“Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.  Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”.  1 Jo 1.6-7

  • Quem se alimenta do Cordeiro, que é Jesus, prioriza viver em comunhão com o povo de Jesus, que é a Igreja!

 

Sinal de Salvação -  “...Quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá”. (v.13).

  • Na grande noite da passagem do Senhor pelo Egito, só havia um referencial para os olhos divinos:  o sangue nas casas.  A presença dele significaria salvação.  A ausência de sangue traria juízo e condenação.  Deus preparou tudo, mas o sangue na porta teria de ser pintado por cada casa!

 

  • Jesus é Deus passando entre nós, derramando o seu sangue para nos salvar.  Não basta conhecer a história do Cordeiro, ter uma religião que fala do Cordeiro, contribuir financeiramente para as obras realizadas em nome do Cordeiro.  Você precisa deixar o Espírito Santo “pintar” ou “lavar” com Seu sangue o seu coração.

“Nele [Jesus] temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus”.   Ef 1.7

Celebre a verdadeira Páscoa....

  • 3. LEMBRE-SE QUE ELA TEM UM PROPÓSITO:   SANTIDADE (v.14-20)

 

  • A Páscoa exigia  o uso de pães asmos, isto é, sem fermento. O fermento simbolizava o pecado que deveria ser rejeitado.  O sangue nas portas livrou os israelitas da morte, mas uma vez livres, deviam construir um caráter semelhante a Deus.  Celebrar a Páscoa é reafirmar um pacto de santidade com Deus.
  • Jesus passa hoje entre nós para nos santificar.   Paulo disse:

 

“...Vocês não sabem que um pouco de fermento faz toda a massa ficar fermentada? Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são.  Pois Cristo, nosso cordeiro pascal, foi sacrificado. Por isso, celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da perversidade, mas com os pães sem fermento, os pães da sinceridade e da verdade”.  1 Co 5.6-8

  • O padrão divino para nós é santidade.  Não há meio termo. Somos salvos e libertos para uma nova vida.  Nossa redenção não é apenas do inferno, ou para termos uma vida boa neste mundo.  Somos salvos para servir, para dar frutos, para glorificar a Deus.

 

  • O Egito é símbolo da escravidão do pecado. Rouba nossa mente, nossas emoções, nosso corpo, nosso tempo, talentos, sonhos, e desvia nosso foco do objetivo prioritário da raça humana:  celebrar a Deus, adorá-lo e viver para Ele! 

 


CONCLUSÃO

“É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou sobre as casas dos israelitas no Egito e poupou nossas casas...”  (v.27)

  • A passagem do anjo sobre as casas de Israel fez toda a diferença.

 

  • A vinda de Cristo a este mundo, há mais de dois mil anos, estabeleceu para sempre e para todos a possibilidade de libertação e vida eterna.
  • O mesmo verso 27, do cap. 12 de Êxodo, diz que

 

“Então o povo curvou-se em adoração”.  v. 27b

  • É o sinal de rendição, de submissão a Deus, de regozijo, de gratidão e louvor ao Senhor que liberta.

 

  • Deus chama você para a salvação.  Entregue-se a ele.  Celebre Cristo como sua Páscoa.
  • Deus chama você para o serviço.  Diz o verso 28:

 

“...Os israelitas fizeram como o Senhor tinha ordenado”.  (v.28)

Venha hoje mesmo para Cristo. Venha servi-lo. Venha em obediência, arrependido dos seus pecados.

 

 

 

 

 

 

 



Voltar ao topo.